Ilustração de placeholder da notícia

Publicado em: 24/06/2022 - 14:59

HB Onco realiza encontro para falar sobre inovações no tratamento do câncer

Aconteceu em junho o Pós-ASCO HB Onco, evento sobre os trabalhos mais importantes apresentados na Asco Annual Meeting, que reuniu no início de junho os maiores nomes da oncologia mundial em Chicago, nos Estados Unidos. Em Rio Preto, a conferência aconteceu de forma presencial em São José do Rio Preto e também online nos dias 21 e 22 de junho.

Foram debatidas pesquisas relacionadas a diversos tipos de tumores, como pele, sarcomas, gastrointestinal, gênito-urinário, ginecologia, mama, cabeça e pescoço e pulmão. Vários convidados renomados na área fizeram apresentações: Dra. Aline Fares e Dr. Daniel Vilarim, ambos do HB, e Dr. Felipe Roitberg, oncologista da Organização Mundial de Saúde e da Sociedade Europeia de Oncologia Clínica e Dra. Paula Ugalde, cirurgiã-torácica da Universidade de Harvard, marcaram presença. Vale destacar também a presença dos Dr. Antônio Carlos Buzaid e do Dr. Fernando Maluf, renomados oncologistas, que também debateram as novidades em câncer de mama e próstata.

No total, entre presencial e online, o Pós-ASCO HB Onco contou com pelo menos 200 participantes que assistiram a seis horas de conteúdo: 42 artigos apresentados, duas sessões educacionais e dois casos clínicos. De alguns dos estudos, o Centro Integrado de Pesquisas (CIP) do Hospital de Base participou. 

“Falamos sobre tratamentos novos contra os mais diversos tumores. Em alguns estudos, a população de Rio Preto foi beneficiada, como contra tumores de pele, mama, próstata, pulmão e gastrointestinal. São abordagens que minimizam o efeito colateral e aumentam as chances de cura”, explica o Dr. Gustavo Girotto, chairman do evento e pesquisador do CIP. “Foi um evento de extrema importância, pois discutimos as maiores novidades da Oncologia que saíram no congresso da Sociedade Americana de Oncologia Clínica 2022, uma excelente oportunidade para os maiores especialistas do País debaterem sobre o que há de novo em oncologia.”

Alguns dos estudos apresentados já estão em vias de chegar aos pacientes, pois estão bastante avançados, ou seja, as abordagens já foram testadas quanto à segurança e eficácia. São novos medicamentos para quimioterapia, imunoterapia e combinação de intervenções que conferem mais qualidade de vida e maior chance de cura aos pacientes.

“Sem dúvidas, foi um evento que contribuiu para disseminar informações sólidas de atuais e futuros tratamentos contra os cânceres no Brasil e no mundo. Trabalhar com pesquisa clínica salva vidas porque os pacientes do SUS não têm acesso a muitos tratamentos que já estão aprovados fora e dentro do Brasil no cenário privado os pacientes, pela ausência ou absurda demora de incorporação de tecnologias dos tratamentos de câncer. A pesquisa clínica traz inovação, mas também traz o tratamento padrão para aqueles que muitas vezes não possuem tratamento padrão disponível. Ser tratado em um protocolo de pesquisa é acima de tudo ser tratado com qualidade, com ética e com o melhor tratamento que existe”, destaca o Dr. Gustavo Girotto.